segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

CONCURSOS EM MINAS GERAIS

Concursos oferecem salário de até R$ 9 mil em Minas

Seleções para cargos em órgãos federais e estaduais e para prefeituras abrem 8,8 mil vagas no estado. Procura por cursos preparatórios aumenta cerca de 40% na capital



Depois de amargar queda de até 60% na procura de alunos em salas de aula, os cursinhos em Belo Horizonte estão diante de um novo fôlego. O ano começou com oferta de mais de 90 mil vagas de concurso em todo o país e somente em Minas Gerais, de acordo com levantamento do Estado de Minas, são aproximadamente 9 mil vagas e os salários variam de R$ 1,6 mil a R$ 9 mil. Com o desemprego em alta e as expectativas no mercado de trabalho em baixa, os editais provocaram aumento de até 40% no número de alunos matriculados. As duas cerejas do bolo são concursos nacionais: Instituto Nacional do Seguro Nacional (INSS) e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ambos com inscrições abertas. Eles caíram ainda mais na preferência dos concurseiros depois que o governo federal suspendeu vários editais, em setembro de 2015.

Neste novo ano, a maioria dos alunos que tem procurado os cursinhos foi pega de surpresa pela crise econômica. Tarsila Neiva Resende, de 35 anos, é uma delas. Formada em direito, em 2013 ela resolveu abrir o próprio negócio, no setor de varejo. “Mas, em meados de 2015, com a retração na economia, vi que o segmento não estava bom e vendi a minha parte da empresa para a minha sócia. Desde então, estou me dedicando ao concurso”, comenta, dizendo que espera no serviço público muito além da estabilidade, mas uma diferença de ambiente do setor privado. “Nas empresas, há preconceitos de gênero, de religião e de idade. No serviço público não tem isso, pois todos entram já direcionados para determinado cargo e não há restrições”, diz.

Tarsila se prepara para uma das provas mais esperadas pelos candidatos, a do INSS. E as chances são muitas. São 950 vagas aos cargos de analista do seguro social e técnico do seguro social. O salário é de R$ 4.886,87 para técnico, que requer o nível médio, e de R$ 7.496,09 para analista, com exigência de nível superior em serviço social. Do total de vagas, 800 são para técnicos e 150 para analistas, ambos com jornada semanal de 40 horas. Estão previstas as reservas de vagas para negros (20%) e para candidatos com deficiência (5%). A execução da seleção está sob a responsabilidade do Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), mais conhecido como Cespe/UnB.

Para o IBGE, são 600 vagas, sendo 140 para os cargos de analista de planejamento, gestão e infraestrutura em informações geográficas e estatísticas, e de tecnologista em informações geográficas e estatísticas, ambos de nível superior de escolaridade, e 460 para técnico em informações geográficas e estatística, de nível médio. Para o nível superior, o total da remuneração bruta poderá chegar a R$ 7.662,49 para os servidores sem titulação, a R$ 8.055,41 para os portadores de certificado de especialização, a R$ 8.448,33 para os portadores de título de mestre e a R$ 9.396,88 para os portadores de título de doutor. Das 140 vagas, 118 são para o Rio de Janeiro e 22 para outros estados, entre eles Minas Gerais.

No nível médio, as vagas para técnico em informações geográficas e estatística são para várias cidades do país. Das 460, 24 são reservadas para pessoas com deficiência e 59 para candidatos negros. Essas vagas estão distribuídas por 165 municípios de 24 estados e no Distrito Federal. O total da remuneração bruta poderá chegar a R$ 3.319,45 para os servidores sem gratificação de qualificação, que ocorre de acordo com os cursos que o candidato tem, e a R$ 4.858,61 para os que têm cursos de graduação ou pós-graduação, em nível de especialização, mestrado ou doutorado.

No estado Em Minas, pelo levantamento do EM, são 8.843 vagas, em concursos de prefeituras e do estado. Um dos mais esperados é para o Corpo de Bombeiros, com inscrição até 26 de fevereiro, e salários a partir de R$ 3,5 mil. Em março, são abertas as inscrições para o concurso da Emater, para qual são oferecidas 100 vagas e a remuneração varia de R$ 2,1 mil a R$ 5,1 mil.

Além desses dois, há o certame para a Prefeitura de Betim. São oferecidas 713 vagas de todos os níveis de escolaridade. As remunerações iniciais chegam a R$ 3.236,60. “O ano promete. Além desses, há a expectativa para o Ministério Público Estadual, Assembleia Legislativa e Câmara Municipal de Belo Horizonte”, comenta o diretor do Orville Carneiro, Wagner Chaves Andrade, que ressalta que, em nível federal, há ainda os concursos do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal.

Cristina Horta/EM/D.A Press
Otimismo nas salas de aula

Com o ano de 2016 começando bem, os cursinhos comemoram. Conforme lembra Wagner Andrade, do Orville Carneiro, em 2015, a queda de alunos nas salas de aula foi de cerca de 60%. “O que intriga é que, se fosse no passado, em época do desemprego, era para ter uma procura mais alta. Porém, com as incertezas políticas e econômicas no país, as pessoas estão receosas”, diz. Para o diretor do cursinho Meritus, Gustavo Campos, no final do ano a queda foi de 30% no número de alunos e, segundo ele, além da declaração do governo para corte em concursos, os candidatos desanimaram também pela falta de recursos financeiros. “As pessoas não entenderam que o corte do governo não era para concursos estaduais e municipais, nem judiciário. Isso causou um desânimo. Além disso, muitos ficaram sem dinheiro para investir, mas, agora, com essa quantidade de edital, a procura pelas aulas aumentou em 40%”, diz.

O valor de um cursinho no Orville Carneiro varia de R$ 600 a R$ 3 mil, e, no Meritus, de R$ 800 a R$ 4 mil. Para este ano, as duas escolas estão com planos para atrair alunos, que vão desde investir em aulas on-line até aulas voltadas para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), como é o caso do Orville Carneiro, que vai oferecer esse tipo de preparação aos candidatos.

ELEIÇÔES Como em 2016 haverá eleições municipais, a Lei 9.505/97 restringe a nomeação, contratação ou admissão do servidor público nos três meses que antecedem o pleito até a posse dos eleitos. A restrição se refere à esfera em que ocorre a eleição, no caso deste ano, no âmbito municipal. Se a homologação do concurso for feita até três meses antes das eleições, as nomeações podem ocorrer em qualquer período do ano. Já seleções federais e estaduais ocorrem sem restrições.  
Fonte http://www.em.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário