sexta-feira, 11 de março de 2016

Chuvas em São Paulo causam ao menos 18 mortes


http://www.conexaobombeiro.com.br/noticias/bombeiros/144163/1
UOL




As fortes chuvas que atingiram o Estado de São Paulo entre a noite de ontem e a madrugada desta sexta-feira (11) deixaram ao menos 18 mortos e 12 pessoas feridas. A Grande São Paulo, onde 16 pessoas morreram, foi a região mais atingida. O interior do Estado também foi afetado.
A Defesa Civil do Estado de São Paulo informou que 9 pessoas ainda estão desaparecidas. "O órgão tem atuado com equipes em Francisco Morato, Franco da Rocha, Mairiporã, cidades da Grande São Paulo, e Tatuí, no interior paulista", disse o coronel Walter Nyakas, da Defesa Civil. 
Até o momento, a Defesa Civil não sabe precisar o número de pessoas afetadas pelas chuvas.

Balanço de mortos

  • Francisco Morato: 10
  • Mairiporã: 4
  • Itatiba: 2
  • Guarulhos: 1
  • Cajamar: 1
Em Francisco Morato, ao menos dois deslizamentos deixaram dez mortos. As vítimas, entre elas uma criança, estavam em imóveis localizados na rua Irã, no Jardim Santa Rosa, e na rua Raul Pompeia, no Jardim Santo Antônio. Outras duas vítimas foram socorridas. Os bombeiros continuam nos locais tentando localizar mais vítimas que estariam soterradas.
A Defesa Civil do município informou que há, no mínimo, 15 pontos com risco de desabamento na cidade. O centro está alagado, e os trens da linha 7-rubi não circularam na manhã de hoje por causa da água que invadiu os trilhos.
Em Mairiporã, quatro pessoas morreram e outras sete ficaram feridas. Um deslizamento de terra atingiu o número 500 da rua Primavera, por volta das 21h de quinta-feira, em uma região de morro no bairro Jardim Néri. O Corpo de Bombeiros continua realizando buscas na região de possíveis vítimas soterradas. 
Em Guarulhos, uma pessoa morreu afogadaEm Cajamar, uma pessoa também morreu afogada.
Em Itatiba (84 km da São Paulo), duas mortes foram relacionadas às chuvas. Um idoso faleceu eletrocutado na madrugada de hoje ao tentar salvar a geladeira da enchente que atingiu sua casa no bairro Jardim de Lucca. A morte foi confirmada pela Guarda Municipal. A outra morte foi confirmada pela Defesa Civil municipal. A vítima era um homem, morador do bairro Santo Antônio, que teria se recusado de sair de sua casa, que ficou alagada. Ele acabou arrastado pela correnteza.
Em Mairiporã, quatro pessoas morreram após um deslizamento de terra
"O Corpo de Bombeiros recebeu 260 ocorrências de pessoas que foram atingidas por inundação", disse o capitão dos Bombeiros Marcos Palumbo ao BandNews TV.
A chuva também causou estragos na cidade de Caieiras, Franco da Rocha, Itapevi, Santana de Parnaíba, Santa Isabel e Embu das Artes, na Grande São Paulo, que ainda apresentava pontos de alagamento nesta manhã.
Carro bóia em alagamento no centro de Caieiras, na Grande São Paulo
Em Caieiras, a Defesa Civil informou que há mais de 30 deslizamentos de terra, porém, não houve nenhum registro de vítima ou desabamento de casa. Porém, diversas residências estão inundadas. O centro e os bairros próximos são as áreas mais prejudicadas pelas chuvas.
Em São Paulo, um deslizamento de terra atingiu uma residência e deixou quatro feridos no Jardim Ângela, na zona sul. As vítimas foram socorridas na rua Achaira e levadas ao Posto de Saúde do M'Boi Mirim.
Foram registradas 9 quedas de árvores durante a madrugada nas subprefeituras Vila Mariana, Pinheiros, Penha, Campo Limpo e Jaçanã/Tremembé.
A capital paulista bateu o recorde de congestionamento neste ano no período da manhã. Segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), às 8h30, a capital paulista tinha 177 quilômetros de vias congestionadas. Antes, o recorde era do dia 23 de fevereiro, com 126 quilômetros de congestionamento. O rodízio de veículos está mantido.
Nível do rio Tietê subiu e marginal ficou com trechos alagados após as fortes chuvas

CPTM

A manhã também foi de caos para os usuários dos trens da CPTM. As linhas 7 e 8 da CPTM continuam operando com velocidade reduzida e com tráfego interrompido em alguns trechos.
Na 7-rubi, não há operação entre Francisco Morato e Jundiaí. A circulação de passageiros entre as estações de Campo Limpo Paulista e Francisco Morato está sendo feita por ônibus gratuitos. 
Na 8-diamante, o trecho interrompido vai de Barueri a Itapevi.
A linha 9-esmeralda, que também chegou a operar com velocidade reduzida, já está com circulação normalizada.

Aeroporto de Guarulhos fechado

A chuva de ontem atingiu uma subestação de energia e fez o aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, ficar fechado entre 23h50 e 6h06, quando o aeroporto foi reaberto. Muitos passageiros ainda aguardavam para fazer embarque por volta das 9h30. Os voos estão sendo reprogramados pelas companhias aéreas.
O Aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital paulista, não teve o funcionamento afetado pelas chuvas, segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).

AEROPORTO DE CUMBICA FICOU FECHADO EM RAZÃO DAS CHUVAS

Previsão

O CGE disse que a chuva forte se dirige agora em direção ao Rio de Janeiro. A previsão do tempo, segundo o órgão, é de chuviscos ao longo do dia em toda a capital paulista, mas nada semelhante ao temporal desta quinta-feira. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário