segunda-feira, 27 de junho de 2016

O Maior Salto da História.

O austríaco Felix Baumgartner de 43 anos bateu em 2012 o recorde de salto de paraquedas da maior altitude de um balão de hélio tripulado, chegando a cerca de 39 mil metros para se transformar no primeiro ser humano a romper a velocidade do som em queda livre. Após uma ascensão de duas horas e 35 minutos sobre Roswell, nos Estados Unidos com o projeto Redbull Stratosfera.
Em sua equipe estava Joe Kittinger, ex-comandante da força aérea dos EUA, atualmente com 83 anos, e que em 1960 estabeleceu o recordo mundial de tempo em queda livre, ao saltar de 31.333 metros e permanecer 4 minutos e 36 segundos sem abrir o paraquedas.

O balão que levou a cápsula alcançou a altura esperada e Baumgartner se lançou no vazio, dentro de seu traje pressurizado, que o protegeu da baixa pressão e das baixas temperaturas. A queda livre do austríaco durou quatro minutos e 20 segundos. Depois disso, ele abriu o paraquedas, que o conduziu até o chão. Em condições normais, na atmosfera terrestre a velocidade do som é de 1.234 km/h, enquanto na estratosfera se pode alcançar com 1.110 km/h, pela menor resistência do ar, segundo a missão que coordenou o salto.

Baumgartner conseguiu controlar a queda e evitar cair em parafuso, o que poderia ter levado a perder a consciência ou sofrer uma hemorragia cerebral. O austríaco se prepara há cinco anos para esta missão e tentava romper quatro recordes: ser o primeiro a superar a velocidade do som sem ajuda mecânica; realizar o mais alto salto de paraquedas, protagonizar a queda livre mais longa e subir ao ponto mais distante da Terra.

Perguntado sobre como era a sensação de quebrar a barreira da velocidade do som, o piloto disse que “não sentiu nada” e não lembra o momento exato em que conseguiu atingir a velocidade.

“Quando eu estava lá, no topo do mundo, eu não pensava mais em quebrar recordes. Você fica humilde, você só quer voltar vivo. Foi a coisa mais i

Redbull Stratosfera

MOMENTO EM QUE BAUMGARTNER COLOCA SEU TRAJE ESPECIAL PARA AS

CONDIÇÕES DO SALTO
importante do mundo, quando eu estava lá”, disse Baumgartner, na coletiva de imprensa concedida depois do salto.

Jonathan Clarck, diretor da equipe médica do projeto, contou que o piloto usou um sistema de monitoramento durante o salto e os dados obtidos serão usados em pesquisas. “O mundo precisa de um herói e hoje ele ganhou um”, disse.
Dois, com certeza foram batidos, o salto mais alto com paraquedas e a maior subida distante do planeta. O principal assessor de Baumgartner é justamente o antigo recordista, Joe Kittinger, hoje com 84 anos, que em 1960, quando era membro das Forças Aéreas dos Estados Unidos, saltou de altura de 31.333 metros. A velocidade da queda de Baumgartner será verificada pelos instrumentos que ele leva em seu traje. Analistas e especialistas ratificarão a informação de que ele quebrou a velocidade do som. O salto coincide com o 65º aniversário da primeira vez que a barreira do som foi rompida. O feito é do americano Chuck Yeager, a bordo de um caça X-15, no dia 14 de outubro de 1947. EFE ll/bg

Felix Baumgartner salta da estratosfera

Salto

O balão que levou a cápsula até a estratosfera começou a subir às 12h30. A subida, que demorou 2h30, atrasou várias horas devido ao vento excessivo em Roswell, nos Estados Unidos, local escolhido para a realização da missão.

Redbull Stratosfera

Horas antes, Baumgartner colocou seu traje pressurizado, que o protegeu das temperaturas de até 70 graus abaixo de zero registradas na estratosfera e que aclimatou seu corpo antes do lançamento.
Além de oferecer oxigênio, a cápsula e o traje o protegeram de uma pressão tão baixa que explodiria seus órgãos internos. Para saltar, o austríaco respirou oxigênio puro para eliminar o nitrogênio de seu sangue, que poderia se expandir em alturas elevadas e com isso ameaçar sua saúde.

O início da fase final de preparação do salto estava previsto para as 9h (de Brasília), mas as rajadas de vento atrasaram essa etapa. O projeto foi realizado em Roswell, nos Estados Unidos. “Ocorreu o mesmo que na terça-feira passada, quando os ventos atingiram a parte superior do balão”, explicou Don Day, o meteorologista chefe do projeto à televisão austríaca Servus.
Na terça-feira passada, a subida do balão de hélio foi suspensa devido ao forte vento. Para o lançamento ocorrer, os ventos devem ser de menos de 3 km/h nos primeiros 244 metros. Às 7h55 (de Brasília) foram registradas rajadas de vento de 11 km/h no local da missão.

O balão utilizado é o único de reserva, por isso, se o projeto não fosse realizado neste domingo, seria suspenso por vários meses, já que se ele fosse aberto não poderia ser reutilizado. O tecido sintético do balão é muito delicado, de apenas 0,002 centímetros de espessura.
            WWW.CONEXAOBOMBEIRO.COM.BR

Nenhum comentário:

Postar um comentário